Acompanhe o capítulo em vídeo

Antes do dia raiar retomei o caminho serra acima. Vou ao encontro de arandu porã amundaba. Subirei uns trinta e cinco quilômetros, até o pé do monte morada do diabo onde ele vive. Caminharei doze horas, com uma parada para descanso, e chegarei a tempo de acompanhá-lo nas leituras e reflexões do final do dia. Da casa de arandu porã karai, no sopé da mosca azul, dirijo-me à estação de trem que leva o mesmo nome da montanha, de lá prosseguirei pelo caminho. Aqui perto da estação um morro muito fácil de subir oferece uma bela vista do conjunto de montanhas, de um grande trecho da ferrovia e da planície litorânea. No alto desse morro, uma noite, um montanhista da região com seus amigos observaram uma esfera luminosa a percorrer de cima abaixo toda a íngreme encosta da mosca azul. Durante um bom tempo o objeto luminoso subiu e desceu no paredão, mas estacou e permaneceu parado quando os homens apontaram um farolete em sua direção. Piscando o farolete para o objeto não identificado por um tempo receberam respostas na mesma sequência de sinais, mas logo, a tal luz se apagou e não a viram mais. O velho montanhista ao me contar disse que, naquela noite, ele e seus amigos talvez tenham perdido a oportunidade de uma revelação porque estavam distraídos. E nem mesmo sabem como seria estarem atentos. E como lhes sobreviria a tal atenção? Para todos a uma só vez ou só para parte deles? E aquele que por (des)ventura se revelasse atento? Preferiram concluir que os sinais luminosos eram apenas sinais desconexos e nada poderiam significar. De qualquer modo, gozando sua desatenção e lembrando dostoiévski, disse-me o experimentado montanhista: Há males que vem para bem. Estou convencido de que não só uma dose muito grande de consciência, mas qualquer consciência é uma doença. Se aceitarmos as palavras de dosta, os vedas, a bíblia, o alcorão, os avesta, a torá, o tao te ching, os sutras… seriam  mosquitos transmissores da moléstia? Pensando nisso, na torre de babel, na biblioteca infinita de borges e em yvy marãey, acelero o passo e avanço pelo caminho, observando as grandes árvores verde metálicas que sobressaem na mata.

Baixe o livro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

limpar formulárioPostar Comentário

10 Comentários

    • Obrigado Romeu. Ontem partiu o querido Cordoni. Não precisamos nem dizer tudo que ele significou para nossas vidas na saúde. Beijo fraterno meu irmão.