Pás lavram os solos do mundo,

e águas lavam o excessivo barro,

e guarda-se o brilho escasso,

e deposita-se o resíduo farto

aos cuidados da samarco.

E vaza e escorre a borra claro escura sujando almas:

fragmentos, abstrações, anonimatos.

 

Lavram as pás o resíduo envenenado

amargurando rios adocicados:

Aonde os sentidos, as individuações,

Os caminhos, os significados?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

limpar formulárioPostar Comentário