No mesmo dia em que o ex-presidente  tinha sua condenação reafirmada em segunda instância no Brasil, encontrei, por acaso, na estação ferroviária de Ancona, uma coisa extraordiária e impactante.

Um comboio de dois vagões antigos reformados, daqueles que eram usados para embarcar judeus, poloneses, ucranianos, para os campos de concentração nazistas da segunda guerra. Num dos vagões uma sala de palestras onde, naquela tarde, o orador deu destaque ao uso dos confinamentos em manicômios dos democratas que ousavam opôr-se ao fascismo na Italia. Bastava um laudo médico, se necessário arrancado sob ameaças e uma ordem da polícia para meter no manicômio, por muitos anos ou até a morte, qualquer pessoa que incomodasse o regime. O expediente era até mais fácil de ser usado do que os cárceres e a tortura, e o foi, largamente, e com justificativas baseadas nas ideias discriminatórias e segregacionistas de coisas intelectuais, como Lombroso, à serviço dos totalitarismos.

No outro vagão uma exposição de uma associação com 70 anos de existência fundada pelo punhado de liberiais, comunistas, maçons, padres, camponeses…que enfrentaram e sobreviveram ao nazifascismo. Falo da Associazione Nazionale Partigiani d’Italia, democratas de matizes políticos diversos que, em fragillíssimas condições, levantaram,  defenderam e defendem seus ideais de Resistenza, Constituzione,  Antifascismo.

Por certo, os Partigiani não devem ser idealizados e reificados, e não faltam relatos das atrocidades da sua parte. Talvez, tenham se transformado em conservadores, que só nos anos 80 / 90 passaram a admitir pessoas que não tinham sido guerrilheiras na sua associação (talvez só por necessidade já que os que tinham sido seriam todos extintos em mais alguns anos). Quem sabe, errem ao defender quase que a imutabilidade da Constituição Italiana, indo contra qualquer tentativa de modificá-la. Talvez se equivoquem ao dividirem-se contra e a favor da Europa unificada (já que ela dividida promoveu duas guerras mundiais). Mas o fato é que sua eterna chamada: “Fascismo Nunca Mais” apelo a todas às instituições democráticas e republicanas é atualíssima. E a seu serviço, está o pequeno comboio que anda de estação em estação em toda a Italia alertando para o ressurgimento dos grupos neonazifascistas que se reúnem e se reorganizam, e chamando os democratas à ação mais uma vez.

Se souber de um “comboio” desses no Brasil embarco nele, por:

Totalitarismos Nunca Mais

Esquerda Corrupta Nunca Mais

Direita Corrupta Nunca Mais

Empresariado Corrupto Nunca Mais

Obstrução às Instituições Republicanas Nunca Mais

Impunidade Nunca Mais

Incompetência e Irresponsabilidade na Gestão do Estado Nunca Mais

Sociopatas no Poder Nunca Mais

E por:

Liberdade

Equidade

Educação

Trabalho

Justiça

Estado de Direiro e de Deveres

Romântico, ingênuo e utópico não?

Não mais do que as bandeiras da Associazione Nazionale Partigiani d’Italia, à qual rendo minhas mais sinceras, românticas e utópicas homenagens.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

limpar formulárioPostar Comentário

3 Comentários